Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Old Brek

Vamos falar de política!

Recommended Posts

O que isso tem haver com corrupção Goris?

 

É uma prática feita por quase todos os governos que perdem as eleições para marcar o próximo governo com obras do governo atual. Mas as autoridades que vão assumir o cargo podem entrar com recurso no ministério público e tentar derrubar as licitações. 

 

Isso não é corrupção e nem "fode com os mineiros".

 

O que fode é isso aqui:

 

http://youtu.be/aEm2VLS2A3s

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Peraí, enfiar 6 bilhões de dívidas (mas os cofres cheios de dívidas e outros problemas) pro próximo governo é normal e aceitável?

Ok

 

 
17 DE NOVEMBRO DE 2014, 12:32

ESCRITO POR MARCELOTAS

Francis fala da Petrobrás no Manhattan Connection (1996)

 

Especialmente os jovens que não o conheceram, devem dar um um play no video acima e ouvir com o coração aberto o que o grande Paulo Francis falou no ano de 1996 sobre contratos da Petrobrás. Tais críticas, feitas num programa de TV que é justamente para fazer críticas sobre os fatos da semana, o Manhattan Connection no ar até hoje no GNT, renderam ao jornalista um processo na Justiça norte-americana. Foi uma clara tentativa de intimidação e censura da empresa de petróleo, que o causou dissabores ao Francis e, segundo alguns, a sua morte prematura no ano seguinte.

Diante das denúncias e testemunhos dos desvios de bilhões na operação Lava Jato, creio que esta é hora dos atuais diretores e funcionários éticos e honestos da empresa lançarem uma campanha para batizar a sonda mais importante do pré-sal com o nome dele: viva a poderosa e profunda sonda Paulo Francis!

 

PS: quer saber mais sobre a história, leia a coluna “Mercados” de Geraldo Samor.

Do distante ano de 1996, vê-se que a Petrobrás realmente já devia ter sido privatizada há tempos.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Como assim enfiar 6 bilhões em dívidas Goris? 

 

Seu texto anterior afirma que  governo atual vai lançar 54 licitações que todas elas somadas geram 692 milhões. E não 6 bilhões. E cara isso não é corrupção, várias destas licitações podem vir a não ocorrer e isso pode ser reversível pelo governo que entrar através do ministério público. E vc fala como se fossem dívidas sem causa, mas vai rolar obras lá. Não é desvio de grana. 

 

Agora o que te pergunto é como vc pode achar que o governo do psdb pode ter sido pior que este atual do PT que SÓ FAZ MERDA. Os números e informações estão aí na cara. Pior resultado em 20 ANOS. roubo atrás de roubo. Tudo subindo. Enfim. Vc compara uma formiga com um elefante e acha que é a mesma coisa. 

 

E esta semana ja teve mais merda:

 

http://g1.globo.com/politica/operacao-lava-jato/noticia/2014/11/cpi-mista-da-petrobras-aprova-quebra-de-sigilo-de-tesoureiro-do-pt.html

 

 

Po as merdas estão todas aí na cara. E vc vai sentir ela no seu dia a dia pode apostar. Seja pagando mais caro em sua comida, ou na energia ou na gasolina. Ou quando seu contra-cheque vier com um valor maior descontado. Ou quem sabe quando vc for parcelar uma compra e perceber que os juros estão altos pra caralho.

 

O pior disso tudo é que vc ainda vai defender, achando que a política do pt "tirou milhões" da miséria.

 

Só posso dar meus pêsames por vc pensar assim. E apenas lhe afirmar que por pessoas que pensam igual vc que o país afunda, enfim vivemos em uma democracia e tenho que aceitar que dilmanta e o pt ganhou. Mas não vou me calar perante esse monte de merda e perante os mal informados que acham que fizeram uma "ótima escolha".

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Hã...
Não votei na Dilma.
A questão vai ser sempre definir o menos pior. E sempre vai ser baseado em fatores pessoais.
Pessoal mente, preferia ter boas opções a votar no menos pior,mas não surgem boas opções.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

“Não há uma cidade, um Estado no Brasil, sem obra superfaturada”
por marcelo l. Hoje à(s) 6:07

Mudam os esquemas, mas os protagonistas continuam os mesmos. Ano após ano, grandes empresas – em especial, construtoras – são apontadas como pivôs de escândalos suspeitos de desviar uma fortuna dos cofres públicos no Brasil. O mais atual, que atinge a empresa estatal mais importante do país, a Petrobras, revelado pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF), pode ter causado um rombo de até 10 bilhões de reais. Para o promotor de Justiça de São Paulo Marcelo Batlouni Mendroni, especialista em investigar crimes financeiros e cartéis, somente uma ampla reforma na legislação diminuirá a ocorrência de casos de corrupção que, na avaliação dele, é endêmica.

“Não há uma prefeitura, um Estado no Brasil, sem contratos superfaturados de obras, de prestação de serviços”, disse o promotor, doutor pela Universidad Complutense de Madrid, na Espanha, com pós doutorado na Università di Bologna, na Itália. Em entrevista ao EL PAÍS, na sede do Gedec, órgão do Ministério Público paulista criado em 2008 para investigar delitos de ordem econômica, Mendroni comparou as empresas envolvidas em escândalos dessa natureza à máfia italiana.

O promotor é autor da denúncia, de 2012, um grupo de empreiteiras suspeitas de fraudar uma concorrência pública para obras do metrô paulista. Embora sejam casos completamente distintos – um afeta o Governo Federal, comandado pelo PT, e o outro o Governo paulista, a cargo do PSDB –, chama a atenção a repetição dos “personagens” da esfera privada. Dentre as denunciadas pela Promotoria de São Paulo há dois anos, seis estão agora sob a mira da Operação Lava Jato da PF: as construtoras Camargo Corrêa, Mendes Júnior, OAS, Queiroz Galvão, Iesa e Odebrecht – todas negam irregularidades. Na semana passada, 36 investigados, entre eles executivos de oito construtoras, foram detidos pela Polícia Federal.

Pergunta. Por que observamos a repetição de algumas empresas em casos diferentes de corrupção?

Resposta. Por causado volume de dinheiro envolvido nos contratos com grandes estatais. O Brasil parece que, indiretamente, vai copiando o modelo das atividades mafiosas. Se você for olhar a Cosa Nostra italiana, de um tempo pra cá, ela parou de praticar crimes violentos e entendeu que conseguia ter muito mais sucesso conseguindo ganhar grandes contratos com o poder público, através da infiltração nas obras públicas, da corrupção de agentes públicos e intimidação de concorrentes. Então eles ganham grandes contratos com o Estado, superfaturam essas obras, que foi exatamente o que parece que aconteceu na Operação Lava Jato e que acontece no Brasil... Aliás, verdade seja dita: é o que acontece em praticamente todos os municípios, todos os Estados e na União. É uma corrupção absolutamente disseminada em todo o país. Eu acho que não existe uma prefeitura nesse país, um Estado, que não tenha esquema de superfaturamento de contratos de obras e serviços públicos. E a União, evidentemente, é onde estão os maiores contratos.

Essas organizações empresariais também são organizações criminosas. Isso tem que ficar bem claro. Hoje em dia, sabemos de empresas perfeitamente lícitas que atuam como um modelo de organização criminosa empresarial, que praticam muitos crimes, além de corrupção, a formação de cartel, os crimes tributários, e outros por aí... ou seja, elas praticam atividades lícitas, mas se valem da estrutura empresarial pra praticar crimes.

P. O senhor foi enfático em mencionar que não tem conhecimento profundo sobre a Operação Lava Jato. Mas, pela sua experiência, é possível que o esquema que vimos na Petrobras hoje tenha começado há muitos anos, até em Governos passados?

R. Sem conhecer o caso, sem opinar especificamente sobre esse caso, acho que esse é um esquema que já vem de muitos, muitos anos. (...) A minha opinião é de que sim. Que isso não é um esquema novo. Não só a Petrobras, mas se fossem investigar a fundo as grandes estata

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Isso é padrão na político. Desde o pequeno até o grande, mas nas pequenas obras não se percebe tanto. Infelizmente é típico e é quase impossível de não acontecer. Tanto que quando não é exagerado o povo não liga mais, pois entende que todo político rouba, mas querem aquele que "rouba, mas faz".

 

Eu só lamento... A escolha está aí e torço para melhorar. Mas já me atingiu, apesar de meu problema não ser apenas presidente, mas também um prefeito PSB que não paga suas contas a meses e deixa o povo a ver navios. Foi até engraçado quando cortaram a energia elétrica da prefeitura por falta de pagamento. Meu faturamento este mês caiu em 50% comparação ao ano passado, uma queda ainda maior que o do ano passado em comparaçao ao ano retrasado. E todos na cidade reclamando.

 

Mas como o povo é povo, não dúvido que seja reeleito se mudar da água para o vinho no último ano de governo. Povo tem memória curta.

 

Eu nem sei se uma melhorada no FPM ajudaria aqui em específico, por que o prefeito é uma tristeza, mas seria uma boa tentativa por parte do governo melhor a situação atual do FPM para as cidades que nos últimos 4 anos foi uma negação.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

E... saímos da recessão técnica! Por muito pouco, é verdade, mas tecnicamente saímos.

 

Economia brasileira cresce 0,1% no 3º tri e, por muito pouco, sai da recessão

 

 

E Dilma decidiu também quem será o novo ministro da fazenda, será Joaquim Levy. Um nome forte e com apoio do mercado. 

 

http://g1.globo.com/economia/noticia/2014/11/novo-ministro-da-fazenda-fixa-meta-fiscal-de-12-do-pib-para-2015.html

 

 

O cara é competente, se tiver liberdade para atuar como diz que tem prevejo um futuro melhor. Mas vai demorar para sairmos do buraco. Pelo menos deve melhorar gradualmente. Mesmo assim os próximos 2 anos serão no máximo anos "mornos". Com sorte começa a esquentar em 2017 para em 2018 estar bem melhor. E provavelmente é do interesse de Lula que meteu o dedo na escolha de Levy e quer ter um Brasil melhor para ser reeleito em 2018.

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Petrobrás é processada nos Estados Unidos

O escritório de advocacia dos Estados Unido Wolf Popper anunciou nesta segunda-feira que entrou em uma Corte de Nova York com uma ação coletiva em nome dos investidores que compraram American Depositary Receipts (ADRs), recibos que representam ações da empresa brasileira e são listados na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE).

A acusação do escritório, segundo um comunicado divulgado na tarde de hoje, é que a Petrobras violou a legislação da Securities and Exchange Commission (SEC, que regula o mercado de capitais dos EUA).

A ação diz respeito a quem investiu nos papéis da Petrobras entre maio de 2010 e 21 de novembro de 2014. A ação alega que a Petrobras, de acordo com o comunicado, forneceu "material falso e comunicados enganosos" e não revelou uma "cultura de corrupção" na empresa, que consiste em um "esquema interno multibilionário de corrupção e lavagem de dinheiro" que afeta a companhia desde 2006.

A Petrobras, destaca o texto, é acusada de superfaturar o valor de propriedades e equipamentos em seu balanço. A empresa "inflou o valor dos contratos de construção da companhia".

Por conta de uma série de denúncias do esquema de corrupção e lavagem de dinheiro, os ADRs da Petrobras acumulam queda de 46% desde o dia 5 de setembro, diz o comunicado. O Wolf Popper já recuperou "bilhões" ao longo dos anos para investidores fraudados, destaca o documento.

Resposta. Em nota, a Petrobrás informou que "não foi intimada da ação judicial" movida em Nova York pelo escritório Wolf Popper, segundo a assessoria de imprensa da petroleira.

 

http://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil/petrobr%C3%A1s-%C3%A9-processada-nos-estados-unidos/ar-BBgwgeZ

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
O cientista político Ruda Ricci é implacável ao avaliar a gestão de Dilma, uma ‘governante sofrível’, já que “o fato concreto é que Dilma Rousseff não nasceu para a política. Nasceu para ser gerente”.  Quanto à campanha eleitoral, ‘violenta e ideologicamente demarcada’, esteve intrinsecamente associada a estas características da presidente: “sem isto, a candidata lulista não venceria. E não venceria porque não empolgava”. 
 
Para o ministério formado para o segundo mandato, Ricci afirma que “dificilmente, os tucanos escolheriam um ministério tão conservador e monetarista”. O que traz perspectivas sombrias para o futuro do emprego e da sobrevivência da classe trabalhadora. 
 
O ocaso do petismo é finalmente vislumbrado pelo cientista político, em função de uma leva de dirigentes cada vez menos capacitados politicamente e que, em face da sempre aventada ‘correlação de forças’, caminham mais à direita a cada eleição que passa.
  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O problema de Dilma não é o hoje, é o passado dos seus últimos 4 anos. Ela causou o que estamos passando. O "governo novo" até que está indo bem em suas escolhas, fazendo coisas que disse que não faria, mas que eram necessárias no Brasil de hoje por culpa de escolhas do passado. Mas o governo tem apenas 7 dias, vamos ver como vai decorrer nos primeiros 3 meses, mas a escolha de corte de custos é mesmo necessária para controlar a economia.

 

Mas eu já comentava que o empresariado e a indústria que é visto como vilão por muitos não aguentaria e que teríamos fortes demissões em 2015. E já começou. Estou torcendo para economia melhorar no segundo semestre, mas não acredito muito nisso. A equipe econômica atual é boa, se tiver carta branca podemos ter um bom futuro a longo prazo, mas muita coisa precisa ser plantada este ano para colhermos depois. Fico com pena dos desempregados e empresas que fecharão.

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
Entre para seguir isso  

×
×
  • Criar Novo...