Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Old Brek

Tristão

Recommended Posts

Era uma vez um homem triste. Triste com sua vida, com a esposa que o decepciona e com tudo mais que ele poderia estar triste. Até o seu nome era triste, chamava-se Tristão.

 

O único motivo para viver era seu filho de 5 anos, mas mesmo este filho o deixa triste. Não fosse por ele poderia simplesmente morrer e abandonar tudo, mas apesar de triste era responsável e não poderia deixar a família em desgraça simplesmente morrendo.

 

Ninguém sabia que ele era triste. Tristão tinha o dom de fingir muito bem sua felicidade, sua esposa não desconfiava que ele sabia de suas traições, para sua comunidade ele era uma pessoa sorridente e confiante, para seu filho Tristão era um herói.

 

Mas ele estava triste. Passara anos triste e a tristeza em seu coração chegara ao limite do que poderia suportar. Arquitetou, então, um plano para o seu fim.

 

Ele era conhecido por não mentir jamais e era algo que ainda lhe prestava algum orgulho. Não começaria a mentir no seu fim, então dizendo a verdade para todos, mas omitindo os desejos de seu coração, Tristão revelou para a família os planos de ser herói.

 

Disse a todos que se cansara dos crimes de um certo assassino que tinha a cabeça a prêmio, mas sempre que o tentavam prender ou matar, simplesmente morriam em suas mãos. Tristão morreria como o herói do filho e não o deixaria sem nada em seu fim.

 

Com a confiança que tinha de sua comunidade, pegou dinheiro emprestado com várias pessoas e comprou fartas provisões para os próximos meses para sua família. Deixou sua família com uma pequena fortuna, a esposa torcendo pelo seu fim nas mãos do assassino e o filho com a certeza que seu pai era de fato um herói.

 

Partiu. Sem mentir foi realmente procurar o assassino e espera que esse o matasse assim que o visse. Descobriu seu paradeiro com mais facilidade do que imaginara e estava de frente ao quarto que o bandido alugara. De frente ao seu fim.

 

Sem se importar com nada simplesmente correu contra a porta e a derrubou com o corpo. Estava desarmado e espera ser recebido com tiros de libertação. Todos escutaram o tiro e correram para ver quem era a nova vítima do meliante.

 

Grande foi a surpresa quando viram o assassino caído no chão e Tristão com a arma do meliante na mão. Todos bradaram sua vitória. Chegara desarmado, tomou a arma do assassino e o matou. Um verdadeiro herói.

 

Voltou para casa com o dinheiro da recompensa. A esposa não ficou feliz com sua volta, mas gostou do dinheiro. Foi o suficiente para pagar seus débitos e deixa-lo como um dos mais ricos de sua comunidade. Para o seu filho ele era um herói ainda maior.

 

Mas Tristão estava triste. Seu plano falhara completamente. Mas como poderia adivinhar que o assassino estaria brincando com a própria arma e com o susto que teve ao derrubar a porta deixou a arma cair e esta disparou por acidente acertando a cabeça do infeliz. Tristão ainda tentou consertar tudo e fazer parecer que houve um duelo com dois mortos. Pergou a arma para se matar, mas mal a pegou e chegaram outras pessoas.

 

O dinheiro não o fizera mais feliz e ele só pensava em quando deveria tentar novamente ir atrás de outro assassino e encontrar o seu fim.

 

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Tristão não imaginava que seu destino iria mudar muito em breve , assim como seus planos para um fim tranquilo ,agora que sua família estava bem amparada financeiramente ,se sentia feliz por eles e infeliz por não encontrar um motivo para viver, além do filho ,claro.

Tentou em vão contar a todos o que realmente aconteceu naquele dia com o meliante, traçando assim um fim alternativo , porém todos imaginaram que ele por ser uma pessoa tão singular, estava querendo desmerecer o seu  belo ato heroico.

Sua esposa, agora com muito dinheiro para gastar mal parava em sua bela casa, continuava ainda mais com seus casos e por fim começou a se embebedar quase todas as noites com amigos nos bares da cidade,o remorso quando chegava em casa fazia com que tomasse antidepressivos e vivesse deitada de dia e a noite saía para sua rotina vespertina.

Um dia Tristão em sua bela casa com um imenso jardim, foi caminhar em seu quintal e sentiu uma brisa muito leve tocar seu rosto , logo pode observar tudo o que havia naquele lugar tão belo que ele mesmo comprou e que nunca tinha parado para sentir aquele lugar...olhou para a variedade de pássaros ao seu redor com suas lindas canções, viu borboletas voando em volta de uma lindo chafariz, olhou em volta e viu as flores multicores vibrantes e brilhantes , a mesma brisa leve que tocou seu rosto balançava os galhos das árvores sentindo assim todo o encanto da natureza...

Pela primeira vez em sua vida ,Tristão se sentiu parte da natureza, parte do mundo,parte de alguma coisa maior que sua existência...Não sabe quanto tempo ficou ali parado apenas sentindo o mundo ao seu redor...respirava profunda e lentamente e esse gesto era como se fosse seu primeiro fôlego de vida...

Depois de algum tempo nessa contemplação, sentiu que na verdade ele não tinha motivos reais para ser tão triste como havia sido em toda sua vida, em seguida seu filho que mal se aproximava dele chegou perto, pegou sua mão e disse:

-Pai venha por aqui!

Kris era um menino inteligente e muito intuitivo, sentia todo o clima pesado da casa , mais ficava ali sem fazer nada se sentindo incapaz de mudar algo naquela família tão fria...

Levou o pai até os fundos da casa onde tinha uma enorme casarão,  sua varanda de frente escondia um deck que dava para um belíssimo lago...

Era nesse lugar que Kris se refugiava há muito tempo ,desde quando começou a perceber o clima pesado em sua casa, ele simplesmente nadava para o outro lado da margem e se sentia feliz em ter aquele lugar somente para si...

Imagem relacionada

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Como esta história é apenas de um post só, não há problemas em comentar aqui. O válido para a história é apenas o primeiro post do tópico que escrevi.

 

Em 31/07/2018 at 00:15, Maressa Kristorm disse:

Tristão não imaginava que seu destino iria mudar muito em breve , assim como seus planos para um fim tranquilo ,agora que sua família estava bem amparada financeiramente ,se sentia feliz por eles e infeliz por não encontrar um motivo para viver, além do filho ,claro.

Tentou em vão contar a todos o que realmente aconteceu naquele dia com o meliante, traçando assim um fim alternativo , porém todos imaginaram que ele por ser uma pessoa tão singular, estava querendo desmerecer o seu  belo ato heroico.

Sua esposa, agora com muito dinheiro para gastar mal parava em sua bela casa, continuava ainda mais com seus casos e por fim começou a se embebedar quase todas as noites com amigos nos bares da cidade,o remorso quando chegava em casa fazia com que tomasse antidepressivos e vivesse deitada de dia e a noite saía para sua rotina vespertina.

Um dia Tristão em sua bela casa com um imenso jardim, foi caminhar em seu quintal e sentiu uma brisa muito leve tocar seu rosto , logo pode observar tudo o que havia naquele lugar tão belo que ele mesmo comprou e que nunca tinha parado para sentir aquele lugar...olhou para a variedade de pássaros ao seu redor com suas lindas canções, viu borboletas voando em volta de uma lindo chafariz, olhou em volta e viu as flores multicores vibrantes e brilhantes , a mesma brisa leve que tocou seu rosto balançava os galhos das árvores sentindo assim todo o encanto da natureza...

Pela primeira vez em sua vida ,Tristão se sentiu parte da natureza, parte do mundo,parte de alguma coisa maior que sua existência...Não sabe quanto tempo ficou ali parado apenas sentindo o mundo ao seu redor...respirava profunda e lentamente e esse gesto era como se fosse seu primeiro fôlego de vida...

Depois de algum tempo nessa contemplação, sentiu que na verdade ele não tinha motivos reais para ser tão triste como havia sido em toda sua vida, em seguida seu filho que mal se aproximava dele chegou perto, pegou sua mão e disse:

-Pai venha por aqui!

Kris era um menino inteligente e muito intuitivo, sentia todo o clima pesado da casa , mais ficava ali sem fazer nada se sentindo incapaz de mudar algo naquela família tão fria...

Levou o pai até os fundos da casa onde tinha uma enorme casarão,  sua varanda de frente escondia um deck que dava para um belíssimo lago...

Era nesse lugar que Kris se refugiava há muito tempo ,desde quando começou a perceber o clima pesado em sua casa, ele simplesmente nadava para o outro lado da margem e se sentia feliz em ter aquele lugar somente para si...

Imagem relacionada

Acredita que só agora li. Achei interessante o "fanfic" que você escreveu. Deu um final mais feliz, apesar dele ter mudado de ideia fácil demais. O Tristão que eu conheço não iria mudar de ideia tão fácil sobre a vida. ;)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 22/06/2019 at 15:45, Lobo Brek disse:

Como esta história é apenas de um post só, não há problemas em comentar aqui. O válido para a história é apenas o primeiro post do tópico que escrevi.

 

Acredita que só agora li. Achei interessante o "fanfic" que você escreveu. Deu um final mais feliz, apesar dele ter mudado de ideia fácil demais. O Tristão que eu conheço não iria mudar de ideia tão fácil sobre a vida. ;)

Obrigada...Alguns erros por ter escrito rápido e redundâncias mas eu também gostei...Pode continuar? 

O Tristão era seu até o momento em que você criou...Depois que passou a ser meu...dei um novo destino a ele. ..rs

Desculpa aew...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
Entre para seguir isso  

×
×
  • Criar Novo...